O que é a tabela SINAPI?

A SINAPI é uma tabela muito utilizada em orçamento de obras, principalmente para construções públicas.

SINAPI é a sigla para Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil. É uma tabela muito utilizada no orçamento de obras, mantida pela Caixa Econômica Federal e pelo IBGE, que informa os custos e índices da Construção Civil no Brasil.

Os preços de insumos e custos de composição do SINAPI são coletados pelo IBGE, que realiza o tratamento dos dados e a formação dos índices e disponibilizados pela Caixa, que realiza a especificação de insumos, composições de serviços e orçamentos de referência.

A utilização das informações advindas desse sistema é obrigatória para a elaboração de orçamentos de obras públicas, sempre em sua versão mais atualizada. Sua atualização é mensal e corresponde ao custo do metro quadrado na construção civil incluindo materiais, equipamentos e mão de obra.

Ao falar em SINAPI, ou tabela SINAPI, dois conjuntos ou tabelas podem ser mencionados: SINAPI como tabela de preços de insumos e mão-de-obra ou SINAPI como tabela de composições unitárias.

SINAPI como tabela de preços de insumos

Essa tabela fornece preços de insumos e mão de obra, com atualização mensal, para todas as capitais do país. Caso você, como engenheiro civil de uma prefeitura ou outro órgão público, for elaborar um orçamento, deve buscar os valores indicados na SINAPI e que melhor se apliquem à localidade de execução da obra.

Assim, o mais adequado é utilizar os dados da capital do estado onde será construída, mesmo que possa haver distorções pelo fator local.

Para consultar o relatório de insumos e serviços por estados, clique aqui.

Para utilizar a tabela, você precisará fazer o seguinte:

  • Levantar todos os nomes dos insumos e mão de obra que serão utilizados, considerando possíveis sinônimos (por exemplo: alguns locais usam o termo “marco” e outros “forra” para a estrutura onde as portas são fixadas).
  • Acessar o site do SINAPI/Caixa e procurar a tabela de preços de insumos mais adequada para o local, bem como mais atualizada possível, na modalidade “Não Desonerado”.
  • Baixar e realizar a busca pelos insumos, em um arquivo PDF. Na tabela, há um código, o nome do insumo, a unidade de medida e o preço correspondente. Os preços pela mão-de-obra não incluem os encargos sociais, cujo valor de referência está previsto ao topo de cada página.
  • Tomar nota dos preços e encargos sociais para aplicá-los, mais tarde, nas composições unitárias.

SINAPI como tabela de composições unitárias

A utilização da SINAPI como tabela de composições analíticas unitárias também faz parte do orçamento de obras públicas. Diferentemente dos preços, não há a necessidade de escolher essas composições levando em conta o local. Deve-se, apenas, considerar a tabela mais atualizada.

Tabela SINAPI
Exemplo de composição da tabela SINAPI.

Para uso da tabela de composições, você deve fazer o seguinte:

  • Levantamento dos projetos todos os serviços de construção que serão necessários, considerando seus aspectos técnicos de execução e os quantitativos.
  • Buscar a composição unitária pertinente, considerando a unidade de serviço que ela dispuser (m³, m², h, un., etc.).
  • Cada composição será apresentada dessa forma (imagem abaixo), com classes, descrições, unidades de serviço e coeficientes de consumo. Quando temos uma composição dentro de outra, precisaremos buscar a composição interna (como se fosse uma função sendo argumento de outra) e trazer a resposta dela para esta de interesse.
  • Multiplique os coeficientes de consumo pelos preços dos insumos ou subcomposições. Some todas essas parcelas e multiplique pela quantidade de serviço na unidade da composição. No caso da mão de obra, não esqueça de inserir os encargos sociais.
  • Some os custos de todas as composições unitárias e aplique a taxa de BDI para obter o orçamento ou preço final.

O que é melhor? SINAPI, TCPO ou sistema de orçamento próprio?

A Tabela de Composições de Preços para Orçamentos (TCPO) é uma iniciativa da editora Pini que se tornou uma referência nos orçamentos de obras no Brasil. Por meio de contatos com empresas brasileiras, abastecia um banco de dados que ajudava na elaboração de orçamentos.

Ainda hoje segue sendo uma opção para quem quer elaborar orçamentos de construção civil no ramo privado, sem histórico empresarial próprio.

Já o SINAPI é de adoção obrigatória no meio público. Para que se tornasse um valioso banco de dados, confiável e próximo à realidade da construção, a Caixa financiou pesquisas na USP, para levantamento de dados em construções de todo o país e aprimoramento do sistema, tornando-o superior à própria TCPO em termos de composições unitárias.

Quando falamos em obras em empresas privadas, a orçamentação pode ganhar características que melhorem sua precisão. Uma construtora pode avaliar a produtividade de seus funcionários e ajustar composições analíticas (ou criar as suas).

Para isso, poderá contar com ferramentas que permitem gerenciar essas composições e um pacote de insumos. Também pode utilizar preços que sejam condizentes com suas cotações e efeitos de escala dos preços de insumos em função do empreendimento de construção. Portanto, quando for possível, é melhor ajustar o orçamento à realidade da empresa, evitando surpresas entre orçado e realizado.

Quer citar este artigo em seu trabalho? Utilize o modelo abaixo:

PEREIRA, Caio. O que é a tabela SINAPI?. Escola Engenharia, 2018. Disponível em: https://www.escolaengenharia.com.br/sinapi/. Acesso em: 20 de agosto de 2018.

O que você achou deste conteúdo? Tem alguma dúvida? Conte nos comentários.

  1. Sebastianópolis do Sul

    Ótima explicação, oportuna. Assunto de interesse e vital importância na área técnica. Obs: Temos muita dificuldade em obter preço e serviço de obra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *