Argamassa: O que é, principais tipos e propriedades

Argamassa é uma mistura de cimento, agregado miúdo, água e aditivos, caso necessário. Confira o que é argamassa, seus tipos, propriedades e normas técnicas.

Argamassa é uma mistura de cimento, agregado miúdo (areias naturais ou de britagem) e água, podendo ainda ser constituídas por polímeros.

As argamassas são utilizadas:

  • Na união entre blocos cerâmicos ou de concreto, em alvenaria de vedação ou estrutural.
  • Como revestimento (chapisco, emboço ou “massa-grossa”, reboco ou “massa-fina”).
  • Compondo o substrato para revestimentos (emboço).
  • No rejuntamento de calçadas em pedras naturais (impermeabilizando e conferindo detalhe arquitetônico).
  • No rejuntamento de revestimento cerâmico (quando à base de cimento Portland).
  • Dentre outras aplicações.
Argamassa sendo aplicada
Argamassa sendo aplicada para assentamento de piso

É preciso ter cuidado quanto ao uso e desperdício, pois cimento, em obras convencionais, representa um dos insumos mais representativos da curva ABC do orçamento da obra.

Tipos de argamassa

As argamassas podem ser de assentamento, revestimento, colante ou de rejuntamento.

Argamassa de assentamento

É uma argamassa utilizada para unir os blocos cerâmicos convencionais ou estruturais diversos. Utiliza-se um cordão de 1 cm abaixo dos blocos e outro verticalmente. A união entre eles se dá por ancoragem mecânica, ou seja, a argamassa forma “raízes” nos poros do bloco e ali se fixa. Em geral ela é rodada em uma central ou no pavimento usando betoneira, mas pode ser adquirida pronta.

Um tipo de argamassa pronta é conhecido como estabilizada, onde recebe polímeros que retardam a hidratação do cimento. Ela deve ser mantida com uma película de água superficial até o dia do uso. As vantagens são diversas, como a eliminação da ociosidade de mão de obra e desperdícios reduzidos, dentro da filosofia lean construction.

Outro tipo é comercializado em bisnagas. Ele garante boa união entre blocos quando a finalidade é apenas de vedação, mas costuma ser aplicado sem a junta vertical (a prumo), o que confere menor resistência ao conjunto.

Ainda existe a opção de adquirir (inclusive em silos) a mistura para argamassas, com traço pronto. Dentro do canteiro de obras, ocorre a adição de água e junção por máquina específica.

Independentemente da origem da argamassa de assentamento, o ideal é que o cordão não seja muito grande. Alguns pedreiros trabalham com juntas muito grossas tentando favorecer alguma produtividade, mas isso não se reflete em ganho financeiro em termos de material, pois blocos cerâmicos custam bem menos do que a argamassa.

Argamassa de revestimento

A argamassa de revestimento possui a função de recobrir, dar rugosidade e corrigir defeitos. Dentro das argamassas de revestimento existe o chapisco, que é uma argamassa com consistência mole e aplicada energicamente sobre paredes de alvenaria ou rolado nas faces de pilares, para melhorar a aderência da alvenaria com a parede erigida depois.

Após a aplicação de chapisco, a argamassa seguinte é o emboço. Ele é mais consistente e dá o formato da parede, devidamente em plano vertical, com o uso de taliscas, mestras e o preenchimento. Se não há revestimento cerâmico a aplicar, ainda há a camada de argamassa, aplicada após o emboço, chamada reboco, que corrige as imperfeições. A rugosidade do emboço só é útil para aderir a argamassa colante e ancorar as peças cerâmicas, se elas forem usadas.

Veja aqui a diferença entre reboco, emboço e chapisco.

Argamassa colante

Argamassa colante é uma argamassa produzida com uma mistura pronta com cimento Portland, agregado muito fino e polímeros que conferem adesividade.

Confira aqui os tipos de argamassa colante.

Há alguns anos, costumava-se assentar com argamassa feita totalmente em obra e submergir as peças cerâmicas em água, para evitar a perda de água de amassamento. O resultado não era dos melhores.

Atualmente, deve-se produzir a argamassa com pouca água (no geral 20 kg de mistura para cerca de 4 L de água – é importante verificar o que o fabricante informa), aplicar uma camada uniforme (com sulcos) e proporcional em espessura ao tamanho das peças cerâmicas sobre o substrato. Não se deve umedecer a cerâmica ao aplicar, colocar água novamente, usar argamassa dormida, aplicar pelotas de argamassa para economizar. Seguindo as regras, a argamassa colante tem resultado garantido.

Argamassa de rejuntamento

Quando são peças cerâmicas, a argamassa de rejuntamento preenche os vãos entre essas peças. Ela também pode ser feita com mistura pronta e deve receber pouca água, repetindo o mesmo problema da argamassa colante. Pode receber pigmentos diversos e dá acabamento.

Nas calçadas de rocha basáltica, a argamassa é produzida de forma convencional. Alguns calceteiros ainda costumam produzir um pouco de argamassa com mais cimento (ou com pigmentos) para destacar com um detalhe a mais as juntas, pois essas são bastante grossas, gerando efeito estético de afinamento.

Propriedades das argamassas

Como um revestimento, as argamassas devem produzir uma camada com as seguintes características:

  • Poder absorver deformações por efeito térmico, higroscópico e diferencial entre componentes.
  • Possuir aderência ao substrato sendo ele rocha, alvenaria, estrutura de concreto armado, etc. Isso vai depender não só da capacidade de absorver deformações acima citada, como da rugosidade do substrato e dos cuidados ao produzir a argamassa.
  • Deve haver boa resistência ao impacto e desgaste superficial. Más execuções geram emboços facilmente raspáveis com a mão.
  • Pouca permeabilidade ou nenhuma à água, mas deve permitir a penetração de vapor de água.

Normas técnicas

Consultado o catálogo normativo da Associação Brasileira de Normas Técnicas, tem-se em vigência as seguintes normas sobre argamassas com cimento:

  • NBR 7200:1998 – Execução de revestimento de paredes e tetos de argamassas inorgânicas – Procedimento.
  • NBR 14081-1:2012 – Argamassa colante industrializada para assentamento de placas cerâmicas. Parte 1: Requisitos.
  • NBR 13749:2013 – Revestimento de paredes e tetos de argamassas inorgânicas – Especificação.

Ainda há uma série de outras normas técnicas que tratam sobre argamassas cimentícias, sendo o foco dessas normas a verificação de requisitos de desempenho das argamassas no estado endurecido.

Quer citar este artigo em seu trabalho? Utilize o modelo abaixo:

PEREIRA, Caio. Argamassa: O que é, principais tipos e propriedades. Escola Engenharia, 2018. Disponível em: https://www.escolaengenharia.com.br/argamassa/. Acesso em: 11 de outubro de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *